A cadeia produtiva do tabaco como campo de disputas

  • Alex Alexandre Mengel
  • Silvia Lima de Aquino

Resumen

 O artigo analisa os conflitos existentes na cadeia produtiva do tabaco no Brasil e as estratégias historicamente estabelecidas por cada agente. Para tanto, interpretamos a cadeia produtiva do tabaco como um campo de disputas. Como ferramentas metodológicas realizamos revisão bibliográfica e entrevistas semiestruturadas. Dentre os resultados, constatamos que, em geral, os agentes do campo tabagista assumem três tipos de estratégias: 1) a defesa do campo; 2) posições estratégicas intermediárias ponderando disputas históricas que consideram posições conflituosas no campo; 3) posições contrárias ao próprio campo do tabaco.

Descargas

Los datos de descarga aún no están disponibles.

Citas

Associação dos Fumicultores do Brasil. (2009). Dados da fumicultura no Brasil. Disponível em: http://www.afubra.com.br/fumicultura-brasil.html

Beling, R. R. (2006). A história de muita gente: um exemplo de liderança: Afubra 50 anos. Santa Cruz do Sul: Afubra.

Boeira, S. L. (2000). Atrás da cortina de fumaça: Tabaco, tabagismo e Meio Ambiente: Estratégias da indústria e dilemas da crítica (Tese de doutorado). Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/79136?show=full

Bonato, A. (2009). A fumicultura e a Convenção-Quadro – Desafios para a diversificação. Curitiba: DESER.

Bourdieu, P. (1989). O poder simbólico. Rio de Janeiro: Editora Bertrand Brasil.

Bourdieu, P. (2011). O campo político. Revista Brasileira de Ciência Política, 5, 193-216. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0103-33522011000100008

Buainain, A. M. e Souza Filho, H. M. (2009). Organização e funcionamento do mercado de tabaco no Sul do Brasil. Campinas: Editora da UNICAMP.

Da Ros, C. A. (2006). As políticas agrárias durante o governo Olívio Dutra e os embates sociais em torno da questão agrária gaúcha (1999-2002) (Tese de doutorado). Disponível em: http://r1.ufrrj.br/cpda/wp-content/uploads/2011/09/d_cesar_da_ros_-2006.pdf

Departamento de Estudos Socioeconômicos Rurais (2005). Afinal, quem a AFUBRA representa?; Boletim do DESER, nº 145. Disponível em www.deser.org.br.

Fossatti, D. M., e Freitas, C. A. (2002). O caráter familiar da atividade fumageira em Santa Cruz do Sul – RS. Economia e Desenvolvimento.., 14, 61-86. doi: http://dx.doi.org/10.5902/red.v0i14.3433

Freitas, T. (2015). A diversificação dos meios de vida como expansão das capacitações: por uma Sociologia das condições de vida na fumicultura no Rio Grande do Sul (Tese de doutorado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Brasil. Disponível em: http://hdl.handle.net/10183/140174

Görgen, S. (1998). A resistência dos pequenos gigantes: a luta e a organização dos pequenos agricultores. Petrópolis: Vozes.

Mengel, A. A. (2011). Tratados Internacionais e Disputas Locais: A Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco e as Disputas entre os Atores de Cadeia Produtiva no Brasil (Dissertação de Mestrado). Disponível em: http://r1.ufrrj.br/cpda/wp-content/uploads/2011/11/Dissertac%C3%A3o_Alex_Alexandre_Mengel_2011.pdf

Organização Mundial da Saúde. (1999). Primera reunión del grupo de trabajo sobre el convenio marco de la OMS para la lucha antitabáquica. Ginebra. Disponible em: www.who.int

Organização Mundial da Saúde. (2003). Convenção Quadro para o Controle do Tabaco. Genebra. Disponível em: http://www.who.int/fctc/text_download/es/

Organização Mundial da Saúde. (2005). Convenio Marco de la OMS para El Control del Tabaco. Genebra. Disponível em: http://www.who.int/fctc/text_download/es/

Perondi, M. A., Schneider, S. e Bonato, A. (2008). Metodologia de Avaliação das Políticas de Diversificação em Áreas Cultivadas com Tabaco. Trabalho apresentado no XLVI Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural. Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural, Rio Branco, Disponível em: http://ageconsearch.umn.edu/bitstream/113985/2/780.pdf

Prieb, R. I. P. (2005). Pluriatividade na Produção Familiar Fumageira. Santa Cruz do Sul: EDUNISC.

Seffrin, G. (1995). AFUBRA – Associação dos Fumicultores do Brasil: O fumo no Brasil e no mundo. Santa Cruz do Sul: AFUBRA.

Vargas, M. A. (2001). Forms of Governance, Learning Mechanisms and Upgrading Strategies in the Tobacco Cluster in Rio Pardo Valley, Brazil. IDS working paper 125.

Vargas, M. A. e Bonato, A. (2007). Cultivo do Tabaco, Agricultura Familiar e Estratégias de Diversificação no Brasil. Em: Cultivo do Tabaco, Agricultura Familiar e Estratégias de Diversificação no Brasil.

Vargas, M. A., e Bonato, A. (2007). Cultivo do tabaco, agricultura familiar e estratégias de diversificação no Brasil. Documento apresentado a Seção da conferência das partes (COP2) da Convenção Quadro para o Controle do Tabaco da Organização Mundial de Saúde (OMS). da Organização Mundial de Saúde (OMS), Bangkok, Tailandia.

Vogt, O. P. (1997). A produção de fumo em Santa Cruz do Sul – RS, 1849 – 1993. Santa Cruz do Sul: EDUNISC.
Publicado
Aug 21, 2017
Cómo citar
Mengel, A., & Lima de Aquino, S. (2017). A cadeia produtiva do tabaco como campo de disputas. Mundo Agrario, 18(38), e057. doi:10.24215/15155994e057
Sección
Artículos

Palabras clave

disputas; tabaco; agricultures familiares; indústria tabagista