Memória e resistência na migração para a Amazônia: o caso de Nova Londrina em Ji-Paraná, estado de Rondônia, Brasil

  • Lediane Fani Felzke
  • Dalva Felipe de Oliveira Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná - Curso de Serviço social, (Brasil)
  • Jania Maria de Paula professora do Instituto Federal de Rondônia - IFRO, Campus Ji-Paraná., (Brasil)

Resumen

A ocupação de Rondônia, a partir da década de 1970, ocorreu de forma desordenada, pois atraiu uma quantidade de camponeses maior do que os projetos de colonização tinham condições de comportar. O objetivo dessa pesquisa foi analisar as condições sob as quais o distrito de Nova Londrina foi colonizado, utilizando-se para tanto de levantamento bibliográfico e da metodologia da História Oral. A chegada a Nova Londrina, Ji-Paraná, foi marcada por conflitos entre camponeses, posseiros e a empresa colonizadora Calama S/A. Apesar da violência da empresa, os camponeses resistiram até que houvesse a intervenção do INCRA, por meio de um programa de regularização fundiária. Neste contexto foi implantado o Núcleo Urbano de Apoio Rural (NUAR) com o objetivo de dar suporte aos camponeses.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor

Lediane Fani Felzke
Dalva Felipe de Oliveira, Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná - Curso de Serviço social
Historiadora, Bacharel em Serviço Social, Mestre em Sociologia
Jania Maria de Paula, professora do Instituto Federal de Rondônia - IFRO, Campus Ji-Paraná.
Geógrafa, Mestre em Geografia,
Publicado
2014-12-04
Cómo citar
Felzke, L., Oliveira, D., & Paula, J. (2014). Memória e resistência na migração para a Amazônia: o caso de Nova Londrina em Ji-Paraná, estado de Rondônia, Brasil. Mundo Agrario, 15(30). Recuperado a partir de https://www.mundoagrario.unlp.edu.ar/article/view/MAv15n30a10
Sección
Artículos