Conservação do Bioma Pampa e a contribuição do Desenvolvimento Rural

  • Viviane Camejo Pereira

Resumen

Este trabalho tem como objetivo realizar uma breve análise da contribuição do desenvolvimento rural para a conservação do Bioma Pampa, no estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Apresenta-se uma breve caracterização do bioma Pampa no estado e a noção de pequeno pecuarista familiar como os remanescentes das primeiras populações de trabalhadores que se estabelece e habita este bioma.  O termo pecuarista familiar é utilizado para o embasamento da concepção de etnoconservação, como categoria de desenvolvimento rural. Refere-se ao contraponto ao agrobusiness, aos monocultivos e a mineração no estado.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Citas

Referências


AB’SABER, A. N. (1969) Participação de Superfícies Aplainadas nas Paisagens do Rio Grande do Sul. Geomorfologia. Instituto de Geografia USP: São Paulo.

BILENCA, D. & MIÑARRO, F. (2004). Identificación de Áreas Valiosas de Pastizales (AVPs) en las Pampas y Campos de Argentina, Uruguay y sur de Brasil. Fundación Vida Silvestre Argentina. Buenos Aires.

BRACK, P. (2007). As monoculturas arbóreas no país que negligencia sua própria biodiversidade. Recuperado de: www.inga.org.br.

CHELOTTI, M. C. & PESSOA, V. L. (2007). (Re) visitando a Geografia Agrária de
Raymond Pébayle: interpretações sobre o espaço agrário gaúcho. Campo- Território: revista de geografia agrária, 2 (4), 38-61, ago. 2007. Recuperado de: www.campoterritorio.ig.ufu.br/include/getdoc.ph.

EMATER/RS. (2000). Caracterização do pecuarista familiar da extensão rural no Rio Grande do Sul com vistas às ações para o desenvolvimento rural sustentável. En: RIBEIRO, C. M. (2009). Estudo do modo de vista dos pecuaristas familiares da Região da Campanha do Rio Grande do Sul (Tese de Doutorado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Ciências Econômicas. Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural, Porto Alegre: UFRGS.

FIALHO, M. A. V. (2005). Rincões de pobreza e desenvolvimento: interpretações sobre o comportamento coletivo. Tese de Doutorado. Rio de Janeiro: UFRRJ.

IBGE (2004). Mapa da vegetação do Brasil e Mapa de Biomas do Brasil. IBGE. Recuperado de: http://www.ibge.gov.br.

IBGE(2006). Censo agropecuário 2006. IBGE. Recuperado de: http://www.ibge.gov.br.

KAGEYAMA, A. (2008). Desenvolvimento rural: conceitos e aplicação ao caso brasileiro. Porto Alegre: Editora UFRGS: Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural.

MMA (2007). Áreas Prioritárias para Conservação, Uso Sustentável e Repartição de Benefícios da Biodiversidade Brasileira: Atualização - Portaria MMA n°9, de 23 de janeiro de 2007. / Ministério do Meio Ambiente, Secretaria de Biodiversidade e Florestas.Brasília: MMA.

PESAVENTO, S. J. (1994). História do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Mercado Aberto.

PILLAR, V. P. et al. (maio, 2006). WORKSHOP Estado atual e desafios para a conservação dos campos. Recuperado de: http://ecoqua.ecologia.ufrgs.br/ecoqua/main.html.


RIBEIRO, C. M. (2009). Estudo do modo de vista dos pecuaristas familiares da Região da Campanha do Rio Grande do Sul (Tese de Doutorado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Ciências Econômicas. Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural, Porto Alegre: UFRGS.

SANTOS, C. M. (1984). Economia e sociedade do Rio Grande do Sul: século XVIII. São Paulo: Nacional.

SARMENTO, M. B. (2008). Recursos Genéticos Forrageiros: aspectos ecológicos e produtivos. Recuperado de: www.urcamp.tche.br/.../recursos/recursos/aulasrecursosgeneticos/

SEN, A. (2000). Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia das Letras.

SCHWANZ, A. K. & ZANIRATO, S. H. (2008). A transformação da paisagem no pampa gaúcho e a constituição das memórias. Recuperado de: http://www.dge.uem.br/semana/eixo8/trabalho_33.pdf.

SILVA, A. C. (1991). Geografia e Lugar Social. São Paulo: Contexto.

SILVA JÚNIOR, R. D. (2008). Etnoconservação, formulação teórica e as suas possibilidades de intervenção sócio ecológica (Dissertação de Mestrado). Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, SP. pp. 9-12, 54- 55.

SUERTEGARAY, D. M. A. & PIRES da SILVA, L. A. (2009). Tchê Pampa: histórias da natureza gaúcha. En: PILLAR, V. P. et al. (2006). Campos Sulinos: conservação e uso sustentável da biodiversidade (pp.30-60). Brasília: MMA.

VEIGA, J. E. (2001). O Brasil rural ainda não encontrou seu eixo de desenvolvimento. Estudos avançados, 15(43), 101-119. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142001000300010.
Publicado
2014-04-11
Cómo citar
Pereira, V. (2014). Conservação do Bioma Pampa e a contribuição do Desenvolvimento Rural. Mundo Agrario, 15(28). Recuperado a partir de https://www.mundoagrario.unlp.edu.ar/article/view/MAv15n11
Sección
Comunicaciones